Recent Posts

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Que tal provar simplesmente o mais caro café do mundo?




É o “Kopi Luwak” e o seu preço oscila entre os 750 e os 1.000 euros o quilo.
Nos cafés de Nova York é servido por 40 dólares a chávena.
O “Kopi Luwak” ou “Café de Civeta” é obtido através dos excrementos da Civeta, um felino da Indonésia.
Esta espécie de gato gigante alimenta-se de frutos de café e expulsa os grãos sem os digerir.
Os apanhadores de café extraem os grãos dos excrementos da civeta, lavam-nos e tostam-nos, apenas ligeiramente, para não alterar os aromas que se desenvolveram durante a digestão.
café na metade do processo (excretado)





Oliva Arbequina

É atualmente a oliva mais plantada na  Espanha e no estrangeiro pela sua boa adaptação aos sistemas de cultura de alta densidade maquinável perfeitamente. Seu óleo é muito estável, e muito frutado e, portanto,bem  aceito. plantas vigorosas e adaptadas ao frio.
NOME
nome único lugar que tem sido encontrado com este nome, de Arbeca (Lleida).
GEOGRAFIA DA CULTURA
Sua área original ocupada pelo vale do Ebro, especialmente na província de Lleida. Atualmente, representa metade de todas as novas plantações, a ter lugar na Espanha, é  contínua expansão para outros países em termos de  azeitonas nobres.
Tem uma maior  resistência ao frio do que outras variedades.
MORFOLOGIA
Folha: curtas e elípticas
Fruto: esférico, de tamanho pequeno. Nenhum mamilo e apenas lenticelas.
Bone: oval, simétrica, arredondada em ambas as extremidades.
PRODUTO
O óleo é considerado um dos melhores devido à ser marcante e frutado,levemente picante e de amargor acentuado, deixando lhe o paladar  muito doce para o gosto de paladares menos habituados ao consumo de azeite de oliva. O rendimento do óleo é geralmente baixa, compensada por uma elevadaqualidade. A conservação do óleo deve ser longe de luz e calor pois é um pouco sensivel perante aos demais azeites perdendo o frutado em menos de um mês . É, portanto, uma variedade muito interessante e a mistura com outras de energia mais estável traduz se em belos e potentes azeite para carnes e aves fortes.

The famous capirinha "Brazilian Original Drink"


Drink that is the face of Brazil has won the world with his taste: Learn how to enhance this delicious tradition 
Give me a lemon and I make a ... caipirinha! The famous adage acquires new watered to 40% alcohol, sugar and lots of ice in honor of most Brazilian drinks.
Strong and refreshing at the same time, the caipirinha is the ideal companion for hot summer days. Its distinctive taste is appreciated from north to south and combines well with the menu filled with beach-sea fruit, and with the currasquinho on Sunday, and shines light following a feijoada good where it is a kind of tradition, and as said by our beloved professor of abs-Brazilian association of wine steward Arthur Azevedo "feijoada harmonizes even with a caipirinha and a bed after"
The success of the caipirinha is so great that the drink has crossed oceans to spread around the world and become the drink of choice for foreigners seeking tropical flavor.
The national drink recipe is relatively simple: lemon, sugar, rum and ice, but the apparent ease inexplicable secrets to hide for those who are expert.
The biggest is the taste: a caipirinha is never the same. Even following the same recipes, the caipirinha prepared by each person is always different.
If the caipirinha is considered the national drink par excellence, the State of São Paulo is considered by scholars and connoisseurs the birthplace of the drink. The name does not, caipirinha comes from the term redneck, name that conveyed the inhabitants of São Paulo and is still used as a reference culture from the inside.
The real origin of the drink is a source of many legends. Some say it came through the slave trade that would have added to the syrup and lemon rum during their celebrations.
For others, responsible for creating the drink is popular medicine, which mixed with lemon and honey rum to combat colds, in a recipe that is still used.
"Before they used rags soaked in alcohol on the forehead of the sick to cure fever and lemon to strengthen immunity. A legend says that after sucking a lemon, alcohol flowed over his forehead and fell into the mouth of a patient. To combat the bitter alcohol, he ate sugar and thus, incidentally, invented the recipe caipirinha "
"The caipirinhas and cachaça are part of Brazilian culture, our duty to appreciate them while preserving our traditions,"
"The caipirinha is more than a beverage, is a state of mind. It is associated with joyful environments, parties, friends wheels. It shows a lot of the Brazilian spirit."
In order to preserve the caipirinha worldwide up to a presidential decree regulating the drink (see text in this page), which confirms the caipirinha as the only drink made with rum, lime, sugar and ice.

video

A Famosa Caipirinha


Drink  que é a cara do Brasil já conquistou o mundo com seu sabor: saiba como incrementar essa deliciosa tradição
Dê-me um limão e eu faço uma... caipirinha! O famoso ditado popular ganha novos contornos regados a 40% de teor alcoólico, açúcar e muito gelo em homenagem ao mais brasileiro dos drinks.
Forte e ao mesmo tempo refrescante, a caipirinha é a companhia ideal para os quentes dias de verão. Seu sabor peculiar é apreciado de norte a sul do país e combina tanto com o cardápio praiano repleto de frutos-do mar, quanto com o currasquinho de domingo,e claro brilha acompanhando uma boa feijoada  onde é uma espécie de tradição, e como dizia o nosso querido professor da abs-associação brasileira de sommelier Arthur Azevedo  "feijoada harmoniza mesmo com uma boa caipirinha e uma cama depois"
O sucesso da caipirinha é tão grande que a bebida cruzou oceanos para se difundir ao redor do mundo e se tornar a bebida preferida dos estrangeiros que procuram sabor tropical.
A receita do drink nacional é relativamente simples: limão, açúcar, pinga e gelo, mas a aparente facilidade esconde segredos inexplicáveis até para quem é especialista no assunto.
O maior deles é o sabor: uma caipirinha nunca fica igual a outra. Mesmo seguindo receitas iguais, a caipirinha preparada por cada pessoa sempre fica diferente.
Se a caipirinha é considerada o drinque nacional por excelência, o Estado de São Paulo é considerado por estudiosos e apreciadores o berço da bebida. O nome não nega, caipirinha tem origem no termo caipira, nome que designava os habitantes do interior paulista e até hoje é utilizado como referência da cultura do interior.
A real origem da bebida é fonte de muitas lendas. Há quem diga que ela surgiu por meio dos escravos, que teriam adicionado garapa e limão à cachaça durante seus festejos.
Para outros, a responsável pela criação do drinque é a medicina popular, que misturou limão e mel à cachaça para combater resfriados, em uma receita que até hoje é usada.
"Antigamente se usava panos embebidos em álcool sobre a fronte dos doentes para curar a febre e o limão para fortalecer a imunidade. Conta uma lenda que depois de chupar um limão, o álcool escorreu pela testa e caiu na boca de um doente. Para combater o amargo do álcool, ele comeu açúcar e, assim, por acaso, inventou a receita da caipirinha",
"A caipirinha e a cachaça são parte da cultura brasileira, temos obrigação de valorizá-las preservando as nossas tradições",
"A caipirinha é mais do que uma bebida, é um estado de espírito. Ela está associada a ambientes alegres, festas, rodas de amigos. Ela mostra bastante do espiríto brasileiro."
Com o intuito de preservar a caipirinha no mundo todo a até um decreto presidencial regulamentando a bebida (veja texto nesta página), que confirma a caipirinha como o drinque feito somente com cachaça, limão, açúcar e gelo.

Durski tem a melhor carta de vinhos do Brasil segundo Guia 4 Rodas 2011

A festa de premiação aconteceu ontem em São Paulo e Junior Durski estava lá para receber o prêmio pelas mãos do jornalista Caco de Paula,diretor de redação do Guia.

Com mais de 1700 rótulos representados por 8400 garrafas provenientes de 23 países diferentes, a carta do Durski é atualizada a cada 3 meses pelo consultor  do restaurante Jorge Ferlin.  Segundo ele, a carta foi elaborada para oferecer os ícones de cada país. Os destaques ficam por conta do Château D´Yquem 1904 e para o vinho mais antigo da carta, o Porto Vintage Ramos Pinto 1884.

A carta de vinhos do restaurante é tão variada que cada prato do cardápio pode ser combinado com 50 rótulos diferentes. Além de serem consumidos no restaurante, também podem ser comprados separadamente na adega, que foi construída para comportar mais de quatro mil garrafas da bebida e traz uma vitrine que permite a visualização do ambiente  a todos os frequentadores do restaurante.  
Já em 2008 era notavel seu potencial de ser um futura jóia a ser descoberta ,a carta de vinhos da adega do Restaurante Durski foi eleita uma das quatro melhores do país, pela Revista Prazeres da Mesa. quando em vista de seu 1700 rótulos de hoje pois contava com  cerca de 700 rótulos.
Essa é \"A Adega\".
Entre eles os cinco vinhos Premier Grand Cru de Bourdeaux (Chateau Margaux, Chateau Haut Brion, Chateau Mouton Rothschild, Chateau Lafite Rothschild e Chateau Latour), além do tradicional Chateau d’Yquen.